PÓLIPOS COLÔNICOS

9 abril, 2019


O pólipo intestinal é uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa do intestino grosso. É uma das condições mais comuns que afeta o intestino, ocorrendo em 15 a 20% da população.

Eles podem ser de diversos formatos e podem surgir em qualquer parte do intestino grosso. Inicialmente são diminutos e benignos (adenoma), podendo crescer até sofrerem transformação maligna (adenocarcinoma), por isso a prevenção com exames de rastreamento são tão importantes. 

Como surgem os pólipos?

Pólipos intestinais surgem como resultado das alterações (mutações) dos cromossomos de algumas células da mucosa, fazendo com que as células tenham um crescimento descontrolado e desorganizado. As mutações podem surgir ao longo da vida e tem maior chance de ocorre em pacientes acima dos 50 anos, além disso algumas famílias tem alterações genéticas que determinam maior risco para desenvolvimento de pólipos. 

Quais são os sintomas?

A maioria dos pólipos não causam qualquer sintoma e são descobertos em exames de rastreamento, como a colonoscopia.

Quando provocam sintomas, podem provocar sangramento, saída de muco com as fezes e alterações no funcionamento do intestino.

Como descobrir se você tem pólipos?

Os pólipos podem ser diagnosticados através de exames endoscópicos, como a colonoscopia ou radiológicos, como o enema opaco, hoje em dia menos utilizado.  

Exames mais simples também podem ser indicados para a detecção precoce. A pesquisa de sangue oculto nas fezes pode ser útil para selecionar pacientes candidatos aos exames completos como a colonoscopia. Mas, é importante enfatizar que um teste negativo não exclui a presença de um pólipo. 

E após o diagnóstico??

Todos os pólipos encontrados no exame endoscópico devem ser totalmente removidos e enviados para análise do médico patologista (exame anatomopatológico). A imensa maioria dos pólipos é removida através da colonoscopia, exame que permite a utilização de instrumentos delicados e especiais. Contudo, a localização e as características de alguns pólipos podem exigir sua remoção através de cirurgia.

 Este exame teve início na década de 80 e desde então foi aperfeiçoado e já representa um procedimento seguro. Atualmente, os equipamentos empregados no exame (colonoscópios) produzem imagens de excelente qualidade havendo grande variedade de acessórios destinados à remoção dos pólipos (polipectomia). Dessa forma, o especialista tem condições de usar o arsenal mais adequado de acordo com as características do(s) pólipo(s). As complicações são potencialmente graves (hemorragia ou perfuração intestinal), eventualmente requerendo tratamento cirúrgico para sua solução. Apesar da possibilidade de complicações, sua baixa incidência não deixa dúvidas a respeito do benefício de se propor a colonoscopia e a polipectomia como estratégia eficaz na prevenção do câncer de intestino.

Se você tiver dúvidas em relação a indicação da colonoscopia para pesquisa de pólipos procure um coloproctologista!!

                                                                                        Dra. Renata Bandini

 

Doença de Crohn

7 março, 2019

Vamos agora falar sobre uma doença pouco conhecida e pouco falada mas que está cada dia mais comum devido em parte ao nosso estilo de vida: a doença de Crohn!

A doença de Crohn é uma doença inflamatória crônica que pode se manifestar em qualquer parte do tubo digestivo (desde a cavidade oral até a região anal) sendo mais comum na final do intestino delgado (íleo) e do intestino grosso. Não há cura descrita, mas os pacientes que mantém acompanhamento e tratamento podem ter uma vida normal, com os sintomas bem controlados!


Sua causa ainda não está esclarecida, por isso ainda é um mistério para muitos médicos, principalmente para quem não é especialista. Os pacientes com doença de Crohn em sua maioria serão tratados por gastroenterologistas ou coloproctologistas. Sua causa é considerada multifatorial já que há influência de diversos fatores, principalmente fatores genéticos, contato com vírus e bactérias na infância, fatores ambientais, como estilo de vida, estresse, hábitos alimentares, e fatores imunológicos.
Pode afetar tanto adultos como crianças, tendo dois picos de incidência, entre os 20 e 30 anos e depois entre os 50 e 60 anos, não havendo predominância de sexo.


Os sintomas mais comuns são: alterações de hábito intestinal, normalmente com vários episódios de diarréia durante o dia, perda de peso e dor abdominal. As fezes podem conter sangue ou muco. Além disso febre, alterações nos olhos, articulações e na pele podem ocorrer. Aproximadamente um terço dos paciente tem manifestações no ânus e canal anal, principalmente fístulas.


O diagnóstico da Doença de Crohn depende da avaliação em conjunto dos sintomas e queixa dos pacientes, exame físico e exames complementares. Além disso, é importante esclarecer que não há um exame que comprove a doença. Nessa pesquisa é importante excluir outras doenças que causem os mesmos sintomas.
colonoscopia com biópsia e avaliaçãodo íleo terminal é o melhor recurso para o diagnóstico da doença. O exame histopatológico do material colhido na biópsia pode confirmar a suspeita. A tomografia computadorizada do abdome pode ser útil na identificação de fístulas entre alças intestinais e outras alterações. Outros exames como radiografias do abdome, exame contrastado do intestino delgado podem ajudar. Os exames laboratoriais também são importantes no diagnóstico e controle da enfermidade.


O tratamento depende da forma de apresentação da doença e do grau de gravidade, é iniciado quase sempre com medicamentos. O corticosteroide é a medicação mais usada para ajudar nas crises e tentar controlar os sintomas, porém não é a medicação escolhida para o tratamento de longo prazo. Várias outras medicações podem ser associadas com o objetivo de fazer regredir a inflamação dos tecidos como os aminosalicilatos, os imunossupressores e a terapia biológica. Alguns casos necessitam de intervenção cirúrgica para tratamento de complicações. A indicação mais comum de cirurgia é o tratamento das estenoses (estreitamento) intestinais.


Como vimos, é uma doença complexa, que necessita de acompanhamento frequente de um médico especialista para o controle adequado dos sintomas e melhor qualidade de vida do paciente!
Se houver alguma dúvida, entre em contato pelo site ou agende uma consulta!!


Dra. Renata Bandini
Coloproctologista

 

Hemorróidas

6 março, 2019
Ninguém fala sobre ela, mas é frequente na maioria da população!!! Ainda existem um tabu quando o assunto é: HEMORRÓIDA!!

Vamos então esclarecer alguns pontos sobre o assunto:

As hemorróidas são veias dilatadas na região anal que fazem parte da anatomia normal de todos nós, porém quando manifestam sintomas chamamos de doença hemorroidária. 

Existem dois tipos de hemorroidas: internas e externas, de acordo com a posição. As hemorroidas externas se formam no canal anal e região externa, sendo recobertas por uma pele bem sensível. Ao contrário, as internas estão na parte bem interna do ânus e são recobertas pela mucosa intestinal.

Sintomas

Os sintomas mais comuns ocorrem durante a defecação: dor, sangramento e prolapso, que é quando a hemorróida "sai para fora" após o esforço de defecação ou outros tipos de esforço.O sangramento, na maioria das vezes é vermelho-vivo e pode ser visto no papel higiênico ou até mesmo pingar no vaso. Seu grau de intensidade pode ser variável.O prolapso pode voltar sozinho para dentro ou então é preciso empurrá-lo.Uma inchaço local após defecar pode gerar uma sensação de inflamação, produzindo apenas desconforto ou dor intensa. A coceira (prurido) ao redor do ânus é também um sintoma comum.

Mulheres grávidas desenvolvem sintomas com freqüência ao final da gestação e que acabam melhorando após a gravidez. Contudo, podem continuar apresentando problemas crônicos e devem procurar cuidados médicos.

Qual é a causa?

A dificuldade no momento da evacuação por fezes ressecadas, uso crônico de laxantes, longos períodos sentado no banheiro, gravidez, além de rotinas profissionais ou esportivas, podem aumentar a pressão dentro das veias, o que as leva a dilatar. A hereditariedade (herança genética) também é reconhecida como um fator importante para o desenvolvimento de hemorroidas.

Hemorroidas podem causar câncer?

Não, entretanto metade das pessoas que procuram tratamento para hemorroidas tem sintomas ocasionados por outros problemas. Em alguns casos o câncer pode ser a causa do sangramento pelo ânus e por este motivo não é seguro acreditar que seu sangramento provém de hemorroidas sem antes consultar um especialista, por vezes são necessários exames complementares para investigar a origem dos sintomas. 

Tratamentos mais comuns

Sintomas leves normalmente são tratados através da correção dos hábitos alimentares, aumentando ingestão de água e de fibras. São boas fontes de fibras os cereais, os alimentos integrais, as frutas e os vegetais.Diminuir o esforço para evacuar é muito importante para não piorar o problema. Podem ser usadas pomadas e medicações via oral para tentativa do alívio dos sintomas.

Nos casos em que as medidas clínicas não resultam em um bom controle dos sintomas, pode ser necessário um tratamento definitivo através de procedimentos, que vão desde a ligadura elástica até a cirurgia propriamente dita.

Se você tem algum desses sintomas ou tem dúvidas em relação a hemorróidas e melhor tratamento para o seu caso, procure um médico coloproctologista!


Dra. Renata Bandini
CRM - SP: 150.000

 

Bem vindos!!

5 fevereiro, 2019

Olá!

Sou Dra. Renata, cirurgiã geral e coloproctologista e estou aqui para falar um pouco de mim e do meu trabalho.

A Coloproctologia é uma especialidade médica pouco conhecida ainda mas que engloba grande parte das queixas diárias de diversos pacientes. Coloproctologia ou Proctologia é a especialidade cirúrgica que se dedica aos estudos das doenças que acometem o intestino grosso, reto e ânus. O médico coloproctologista é capacitado para tratamento de doenças clínicas e cirúrgicas desses orgãos,  desde as mais simples, como hemorróidas e fissuras, até as mais complexas como o Câncer Colorretal e as Doenças inflamatórias Intestinais, como a Doença de Crohn e Retocolite ulcerativa.

Acredito que a medicina deve ser realizada com profissionalismo, excelência e sobre tudo carinho ao próximo. A relação entre o médico e seu paciente é a base para chegarmos ao objetivo final, que é a sua saúde.

No consultório tenho a possibilidade de realizar um atendimento amplo e profundo, sem pressa, para nos conhecermos e para que possamos em conjunto avaliar seu caso e escolher qual o melhor caminho para o seu tratamento.


Estou a disposição para esclarecer suas dúvidas e farei o melhor para cuidar da sua saúde, agende uma consulta!!